Voltar

Sem Lactose

Sensível ao leite mas não intolerante

Saiba como não agravar sua sensibilidade e evitar ao máximo a chegada da intolerância severa ao leite.

Cada pessoa possui uma identidade alimentar composta pelas suas particularidades: preferências individuais, resposta imunológica, comportamento alimentar, simbologia familiar e histórico clínico. Infelizmente, a soma destas características e situações  pode acarretar em problemas digestivos em relação a determinados tipos de alimentos. Intolerância e alergia alimentar são os diagnósticos mais conhecidos, entretanto, algumas pessoas também sofrem de sensibilidade a algumas substâncias e seus derivados. 


A sensibilidade alimentar é caracterizada como uma queixa que ocorre a partir de um conjunto de sintomas gastrintestinais, distensão abdominal, enjoos, gases, constipação, diarréia, etc. As complicações geralmente aparecem porque estas pessoas têm alguma condição específica associada a essa sensibilidade. Nesse caso, as reações, apesar de serem as mesmas de uma alergia, se manifestam de forma leve. Não é um diagnóstico fácil e é feito pela exclusão dos alimentos. 


Sensibilidade ao leite: o que fazer?


O leite de origem animal é um dos alimentos mais disseminados mundialmente, principalmente por possuir um alto valor nutritivo e muitos derivados. No entanto, o organismo de algumas pessoas pode reagir negativamente ao consumo dele. Logo, mesmo aqueles que não têm alergia ou intolerância ao leite, podem sofrer de leves reações em razão da sensibilidade alimentar.


Os sintomas podem aparecer até dias após o consumo do leite, fazendo com que a sua relação com a bebida passe despercebida. Logo, para evitar ou, ao menos, minimizar qualquer efeito adverso, o recomendado é consumir o leite, no máximo, quatro vezes por semana e em dias alternados. Isso quando é consumido puro, em forma líquida. Outra dica importante é nunca tomar o leite de "barriga vazia". Sempre beba em um contexto como o café da manhã ou o lanche da tarde, quando há outros acompanhamentos, tais como frutas, pães, biscoitos, cereais, etc.


Já os derivados lácteos - entre eles manteiga, queijos e iogurtes - são melhor assimilados pelo corpo humano. Isso porque possuem uma concentração menor da proteína do leite e a sua digestão será melhor que a do leite puro. Em um comparativo, 100ml de leite de vaca integral contém, em média, 4,5g de lactose. No caso dos queijos, esse índice pode variar entre 0,06g até cerca de 3,0g por cada 100g do produto. Ou seja, a redução é bastante significativa. Também o creme de leite, a maionese caseira (a que é feita com leite) e o iogurte caseiro são exemplos de produtos que reduzem a lactose no processo de preparo, de forma natural.


Também é importante dar atenção à variedade alimentar da sua dieta, de modo a garantir o equilíbrio de nutrientes e uma menor exposição de um mesmo alimento ao sistema digestivo para prevenir as sensibilidades. E para quem deseja saber se o seu corpo está reagindo de forma negativa ao consumo do leite, recomenda-se o teste de intolerância alimentar que é diferente do teste de intolerância à lactose.