Voltar

Sem Lactose

Intolerância ao leite x enxaqueca

A dor de cabeça constante e até mesmo as temidas enxaquecas podem ser sinais da intolerância à lactose.

Já abordamos em outra publicação que a intolerância à lactose surge a partir da deficiência ou ausência de uma enzima intestinal, a lactase. Ela decompõe o açúcar do leite em carboidratos mais simples, para a sua melhor absorção. A incapacidade de digerir este açúcar acarreta em uma série de sintomas e os mais comuns são náuseas, dores abdominais, diarreia ácida e abundante, gases e desconforto. A severidade dos sintomas depende do montante ingerido e da quantidade de lactose que cada pessoa pode tolerar. 


Porém, algumas pessoas começaram a incluir, entre outros sintomas, um novo sinal da intolerância: a enxaqueca. Sim, pode haver relação entre intolerância à lactose e enxaqueca e é necessário vigilância para ser feito o tratamento correto. As bactérias do intestino produzem gases quando a substância láctea é fermentada, sobretudo sem a digestão necessária pela falta da lactase. Um desses gases é o metano que, quando cai na corrente sanguínea, pode gerar dores musculares, irritabilidade e dor de cabeça.


Especialistas afirmam que sintomas como cefaléia, tonturas, comprometimentos da memória e letargia podem atingir em cerca de 20% dos acometidos pela intolerância. No entanto, não está claro se esses sintomas atípicos se devem à ingestão de lactose ou estão relacionados à presença da chamada “doença funcional”, frequentemente acompanhada por múltiplos sintomas. Ou seja, ter dores de cabeça, por si só, não comprova um diagnóstico de intolerância ao leite.


Minha enxaqueca é devido à lactose?
Para ter certeza que os sintomas estão sendo desencadeados pela lactose é preciso agendar um horário com o médico alergista ou gastro. O profissional vai considerar o histórico do paciente para entender por quanto tempo sofre com males sintomáticos, tais como diarreia, má digestão e azia. 


Após o relato, pode ser indicado tirar os alimentos com lactose por um tempo e repor gradativamente. Se os sintomas, como as dores de cabeça, passarem nesse tempo e voltarem após retomar com o consumo, trata-se de uma forte indicação.


Outras maneiras de confirmação são pelo exame de sangue e também pelo teste de concentração de hidrogênio expirado. Nesse teste, a pessoa sopra um aparelho para detectar se existe a presença de gases da fermentação da lactose no intestino. 



Depois do diagnóstico positivo 
Após o diagnóstico da intolerância à lactose, o tratamento - com ou sem a enxaqueca - é o mesmo: uma dieta com restrição de lactose ou usando produtos zero lactose. O consumo de enzimas sintéticas (lactase) no momento da ingestão do produto lácteo evita a necessidade de restrição total. Infelizmente, não existe um tratamento específico que estimule o corpo a produzir a lactase, sendo assim, a restrição ao ingrediente é o caminho mais adequado.  


Cabe ressaltar que se você tem dores de cabeça frequentes e costuma se automedicar - o que por si só é um erro -, deve consultar um médico para tratá-las de maneira correta. O uso indiscriminado de analgésicos, anti-inflamatórios, relaxantes musculares ou associações com cafeína pode acarretar outras complicações à sua saúde.