Voltar

Sem Glúten

Saúde com a doença celíaca

Manter a saúde em dia quando se tem um problema crônico é mais fácil do que se imagina. Com conhecimento da restrição, o celíaco se torna consciente de suas escolhas e vive de forma plena.

A doença celíaca é uma sensibilidade que algumas pessoas têm ao glúten. Quando não tratada, causa danos ao intestino delgado, inflamação sistêmica, dificuldade na absorção de nutrientes entre outras disfunções. Os sintomas oriundos da presença de glúten no organismo de quem é intolerante vão desde diarreia até anemia e infertilidade.


Vale ressaltar que, cientificamente, não há comprovação de que o glúten faz mal às pessoas intolerantes. O tratamento baseia-se em evidências e resta muito a ser investigado e aprofundado. A dieta isenta de gluten free - ou seja, sem trigo, cevada e centeio -, é recomendada como único tratamento para pessoas que apresentam doença celíaca. 


Agora, quem opta por retirar produtos com glúten da dieta por conta própria, em tese, não obtém benefício algum. Há muita controvérsia inclusive entre médicos e nutricionistas a respeito. Os alimentos ricos em glúten, dentro de uma dieta equilibrada, trazem proveitos extras: ajudam a controlar a glicemia e os triglicérides, aumentam a absorção de vitaminas e minerais, melhoram a flora intestinal e fortalecem o sistema imune. Nesse ponto, surge a pergunta: aqueles que precisam restringir o consumo dessa proteína, de que modo devem suprir as necessidades do organismo para manter a saúde em dia?


Sem glúten e com saúde 


Para que o celíaco possa manter uma dieta rica em nutrientes, é preciso consumir alimentos variados e ser criativo. Afinal, para ter uma alimentação balanceada se faz necessário optar por diferentes produtos, que vão trazer benefícios e repor energia ao corpo. Os que naturalmente não possuem glúten e, portanto, podem ser consumidos à vontade são: arroz, feijão, frutas, legumes, verduras, carnes, peixe, tapioca, óleos, azeite, sal, açúcar, quinoa, entre centenas exemplos.


Também é preciso substituir a farinha que contém glúten, como a de trigo, por farinhas como as de amêndoa, milho, arroz, linhaça, chia e coco. Também fazer uso amido de milho, polvilho, fécula de batata para cozinhar pratos como pães e bolos, com o objetivo de evitar a monotonia.


Sim, celíacos podem comer pão desde que não contenha glúten. Atualmente, a indústria alimentícia oferece muitas opções de itens panificados sem glúten e variedade na prateleira do supermercado é o que não falta. Para os que desejam assar seu pão sem glúten em casa, lá vai uma dica: substitua a farinha de trigo pela de arroz. Essa gramínea (o arroz é uma planta da mesma família da grama!), além de não conter glúten, é fonte de proteínas, fibras alimentares, controla os níveis de açúcar e ajuda no fortalecimento e bom desenvolvimento dos ossos e músculos. Enfim, manter-se saudável sendo celíaco é possível, viável e uma necessidade para ter uma vida completa e plena.