Voltar

Orgânicos

Pandemia impulsiona procura por alimentos orgânicos

Mais tempo em casa cozinhando as próprias refeições e reflexões sobre as práticas de consumo sustentáveis são propulsores da busca por uma alimentação mais saudável

Desde março, com a chegada com novo coronavírus ao Brasil e o início do isolamento social e das práticas de prevenção ao contágio, as pessoas passaram a se reposicionar enquanto consumidoras. E uma das mudanças que já foram constatadas foi o aumento da procura por alimentos orgânicos - aqueles produzidos sem insumos artificiais, tais como agrotóxicos, hormônios e adubos químicos em nenhuma etapa - desde o preparo da terra até a colheita e manipulação. Inclusive os transgênicos não são considerados orgânicos.


Essa aceleração no crescimento do consumo sustentável, durante a pandemia, indica que as pessoas estão adquirindo mais consciência sobre como nutrem o corpo e se preocupando com a origem dos alimentos que consomem. Segundo a Associação de Promoção da Produção Orgânica e Sustentável (Organis), os alimentos orgânicos compõem  menos de 1% dos produzidos no Brasil - apesar do crescimento médio de 15% a 20% ao ano no faturamento. O País conta com pouco mais de 20 mil produtores, que movimentam anualmente cerca de R$ 4,5 bilhões.


E você, modificou seus hábitos alimentares? Colocou mais comida orgânica na sua mesa? Ou passou a comer "comida de verdade", como prega Rita Lobo, apresentadora especialista em culinária do canal fechado GNT? Se sim, parabéns, pois você tomou ótimas medidas! Agora, se ainda não tem certeza que vale a pena fazer essa mudança de rota em prol da sua saúde, temos um texto bem legal sobre a importância de consumir alimentos orgânicos e apresentamos outros 4 ótimos motivos para isso.