Voltar

Consumo consciente

Economizar o gás de cozinha é possível

Com o preço do botijão de gás elevado, a saída é encontrar maneiras de otimizar o uso e evitar desperdícios que fazem diferença no orçamento do mês.

Quando o assunto é diminuir as despesas, toda ajuda é sempre bem-vinda. Muitas famílias estão sentindo no bolso os constantes aumentos no preço de insumos básicos, especialmente do gás de cozinha – e não por acaso. De acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), somente em 2021, essa alta foi de quase 30% até o mês de setembro, sendo cinco vezes maior do que a inflação acumulada no período. 


Com o preço do botijão de gás nas alturas, a saída é encontrar maneiras de otimizar o uso e evitar desperdícios que fazem diferença no orçamento do mês. Até porque cozinhar em casa ainda é o hábito mais indicado para quem preza pelo custo benefício na sua rotina. Contudo, por onde começar essa economia? Selecionamos algumas informações e truques simples e práticos para que o seu gás dure por mais tempo.


O que gasta mais: fogo alto ou fogo baixo? 

Manter as chamas altas por mais tempo significa um maior consumo. Logo, para economizar é melhor deixar o fogo alto somente até o ponto necessário. Isso porque manter as chamas altas durante todo o processo não apressa o cozimento dos alimentos, ou seja, não faz diferença, apenas gasta mais.


Planeje o uso do forno sempre que possível 

Melhor ainda, torne isso em rotina. Cozinhe pratos diferentes que usam o forno na mesma temperatura para prepará-los juntos. Também faz diferença se você usar papel-alumínio nas preparações para concentrar o calor. Lembre-se de colocar a parte brilhosa voltada para o alimento, de forma que possa refletir calor. 


Que tal cozinhar a vapor? 

Aproveite o cozimento de um alimento na panela para colocar um escorredor de macarrão, por exemplo. Assim é possível cozinhar outros alimentos no vapor, tais como legumes. Assim como a dica anterior, você gasta a mesma quantidade de gás para cozinhar mais alimentos. 


Corte bem os alimentos 

Cozinhar alimentos em pedaços maiores gasta mais gás. Portanto, cortar alimentos como cenoura, batata-inglesa, batata-doce,  aipim, abóbora, entre outros, em tamanhos menores otimiza o tempo de panela. 


Panela de pressão também é uma aliada 

Embora muitas pessoas tenham medo de aderir à panela de pressão, aprender a utilizá-la ajudar a economizar gás, já que ela cozinha os alimentos em menos tempo. Para otimizar o uso, no caso de grãos, como feijão e grão-de-bico, deixe esses alimentos de molho por, pelo menos, 12 horas. Dessa forma, os grãos ficam macios, facilitando o cozimento. 


Evite a passagem do vento na cozinha 

O ideal é que o seu fogão fique longe de janelas, portas, ventiladores para que assim as chamas não apaguem e o gás de cozinha escape. Correntes de ar podem reduzir ao esquentar as panelas, exigindo mais tempo para que atinja a temperatura ideal. 


Atenção às panelas 

Após muito tempo de uso, a panela pode estar com o fundo gasto ou com o metal torto, condições que contribuem para gastar mais gás. Assim, vale a pena fazer um investimento e trocar as panelas de tempos em tempos. Inclusive, aquelas de fundo triplo ou de ferro fundido retêm mais calor e permitem que a chama seja reduzida quando começar a fervura, sem perder a temperatura, o que é mais difícil com as panelas finas.


Faça revisões e manutenções necessárias 

Não espere que o seu fogão apresente um defeito para chamar o técnico. O ideal é uma revisão por ano para verificar, por exemplo, as bocas do fogão, a vedação do forno e a mangueira do gás. No dia a dia: verifique as roscas do botijão de gás e as mangueiras despejando um pouco de espuma de sabão e observando se há algum vazamento. Além de ajudar na economia, evita acidentes.



Fontes: IDEC e Folha de São Paulo.