Voltar

Bem-estar

Remolho do feijão evita indigestão

Saber as etapas e tempos ideias para deixar o feijão de molho ajuda a evitar a formação de gases incômodos e combate a má digestão.

Embora o feijão seja um dos pratos mais tradicionais na mesa do brasileiro, tem muita gente que não conhece algumas etapas importantes do seu preparo. Estamos nos referindo ao que nossos avós e pais nos ensinaram: deixar o feijão de molho na água horas antes do cozimento. O nome técnico do processo é “remolho” e ele ajuda a eliminar toxinas que provocam gases e/ou causam indigestão em algumas pessoas. O pré preparo é indicado, principalmente, com as variedades de grãos mais comuns, como o carioca e o preto.


A produtora de conteúdo Laura Leão (@laurinhaleao) se dedica a levar conteúdos voltados a escolhas sustentáveis e que melhorem a qualidade de vida das pessoas no Instagram. Laura já falou tanto sobre o processo de remolho do feijão em suas redes que tem um destaque no seu perfil, ou seja, os seguidores adoram conferir essa dica.


“Sabe aquela sensação de inchaço ou de mal estar que algumas pessoas relatam ao comer feijão? Aprendi com o meu irmão André Leão, estudante de Nutrição, que deixando os grãos de molho esses desconfortos diminuem muito. Segundo ele, isso acontece pois, fazendo o molho, reduzimos os fatores antinutricionais, presente em substâncias como o fitato, que interfere negativamente na digestão das proteínas e têm a capacidade de produzir gases”.


São diversos os fatores que o feijão sem molho acarreta: inibidores de proteínas, oxalatos, taninos, nitritos, dentre outros. A proteína e os minerais ficam presos a esses compostos e não conseguem ser absorvidos com facilidade pelo organismo. É aí que entra o remolho, pois o simples cozimento não elimina os tais antinutrientes. 



Como fazer o remolho?

O processo é bem simples e, para não ter erros, Laura compartilhou as etapas que ela realiza:


1) Deixar de molho por pelo menos 8 horas  em água com uma colher de sopa de vinagre (qualquer um, maçã, álcool, vinho, arroz). Se não tiver vinagre em casa, pode espremer umas gotinhas de limão. 

2) O ideal é deixar o feijão por 24 horas e, a cada 8 horas, escorrer e colocar água nova com mais uma colher de sopa de vinagre.

3) Entre esses processos, será possível observar que o feijão libera uma espécie de "espuma branca" que é justamente o que não se deve ingerir.

4) Por último, não devemos aproveitar a água do remolho no cozimento do feijão. Mas como ensina a Laura, nada deve ser desperdiçado, então, que tal regar as plantas com o líquido?


“Esse processo vale especialmente para o feijão e o grão de bico, que deixo por 24 horas. Para a lentilha ou ervilha, por exemplo, poucas horas já são suficientes”, conclui Laura. Se você gosta de feijão mas evita porque sente aquele  "peso" na digestão, experimente realizar estes processos. Sem falar que, além de tudo que comentamos nesse texto, com o remolho o grão vai para a panela muito mais macio e cozinha bem rápido. É bem-estar, economia e sustentabilidade.