Voltar

Bem-estar

Elimine o sal usando ervas e temperos naturais

Uma excelente mudança nos hábitos diários é trocar o sal por ervas como manjericão, cebolinha, louro e coentro que reforçam o sabor da comida e não causam prejuízos à saúde quando consumidos em excesso.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda diariamente 6 gramas de sal por dia, o que corresponde a uma colher de chá. Entretanto, o consumo do brasileiro está muito além deste nível. Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a média de consumo de sódio dos brasileiros está em 12 gramas por dia - contando com o sal de mesa e o sódio presente nos alimentos industrializados.

Então, o primeiro passo para eliminar o sal da alimentação é justamente a redução no consumo dos chamados ultraprocessados. Outra mudança nos hábitos diários é diminuir ou trocar o sal por ervas como manjericão, cebolinha, louro e coentro, que reforçam o sabor da comida sem precisar de sal. Principalmente na comida do dia a dia é muito viável aplicar tal substituição.

Veja abaixo algumas dicas de substituição do sal por ervas:

  • Cheiro-verde: famosa combinação de salsinha e cebolinha picadas, o cheiro verde pode ser usado em quase todas as preparações. 

  • Tempero para frango caseiro: mistura de manjericão, cebolinha, salsinha, cebola, alho, pimentão vermelho, noz-moscada e louro. Deve ser acrescentado ao frango no mínimo meia hora antes do preparo.

  • Tempero para peixe: combina coentro, salsinha, cebolinha, cebola, gengibre, alho e pimenta-do-reino - se tolerada ou do agrado de todos.

  • Tempero para feijão: reunir alho amassado, cebola picadinha, folhas de louro, tomate e pimentão bem picadinhos. Eles dão sabor e encorpam o caldo do feijão. Se usar linguiças, paio e outros embutidos para a feijoada, daí sim que deve se cozinhar sem sal. 

  • Ervas finas: mistura manjericão, tomilho, manjerona, sálvia, alecrim e o famoso orégano e dão sabor especial a cremes, caldos e sopas. Na França, chamam de bouquet garni a mistura de ervas locais frescas, amarradas em um barbante, que são colocadas em caldos e sopas para saborizar e depois retiradas e descartadas.