Voltar

Bem-estar

Cinco dicas para fumar menos (ou parar de fumar!)

Reduzir o consumo de cigarro já traz grandes benefícios à saúde. Imagine se você conseguir parar de fumar durante a pandemia?

Em tempos de Covid19, estar com a saúde em dia é fundamental. Entretanto, dormir bem, ter uma alimentação adequada e a prática de exercícios físicos não são suficientes para manter a imunidade alta em um grupo específico de pessoas: os fumantes. Se faz necessário reduzir ao máximo o consumo de cigarros e, se possível, deixar de lado o hábito. Tudo porque o novo coronavírus ataca agressiva e especialmente o pulmão, órgão já prejudicado no tabagista. Soma-se a isso o fato de que retirar a máscara e colocar os dedos perto da boca várias vezes faz parte do ato de fumar e desprotege ainda mais o fumante.


O médico pneumologista Dr. Fabio Maraschin Haggsträm estimula os pacientes a abandonarem o vício agora, mesmo durante a pandemia. O isolamento social, neste caso, pode ajudar na mudança de comportamento, principalmente para aqueles que têm mais tempo ocioso, o qual dedicam fazendo a própria comida e/ou se exercitando em casa. "Trata-se de um processo que leva tempo e exige mudanças no comportamento dos fumantes. O ideal é fazer uma programação de tratamento que, além das mudanças dos hábitos, pode incluir uso de medicamentos*", detalha o médico. 


“Lidar com sentimentos ou situações que estão atrelados ao cigarro, que variam de pessoa para pessoa, é primordial. Quem sente vontade de fumar para se acalmar é diferente de quem sente vontade para relaxar. Ou então, quem fuma quando toma uma cerveja é diferente de quem fuma quando toma café", exemplifica o pneumologista. Os gatilhos emocionais e as rotinas estabelecidas com o cigarro vão ajudar o paciente a compreender melhor o que precisa combater. "Fumar é um condicionamento comportamental associado a uma dependência química", conclui o pneumologista.


Abaixo reunimos cinco dicas do Dr. Fabio para facilitar o processo de redução ou o abandono definitivo a dependência:

1 - Dificulte o acesso ao cigarro. Se precisar sair para trabalhar ou ir ao mercado, deixe o cigarro em casa. Não leve o maço consigo, pois, se quiser fumar, terá de comprar. Pensar duas vezes antes é melhor que fumar sem pensar;

2 - Não fume acompanhado e nem dentro de casa. Fumar conversando com alguém ou dentro de casa é muito conveniente. Encontre um lugar para fumar, de preferência na rua, só você e o cigarro;

3 - Quando vier "aquela fissura", espere cinco minutos. Enquanto isso, tome uma água, limpe a mesa, lave a louça, brinque com o cachorro. Distraia sua mente, engane o vício;

4 - Sempre depois de fumar, lave mãos e rosto e, se possível, escove os dentes. A higiene torna trabalhoso o ritual pós cigarro e faz com que, novamente, se repense o ato;

5 - Marque uma meta semanal de redução. Por exemplo, nos próximos sete dias, o primeiro cigarro será só depois do almoço e na outra semana, o último será até às 20h e assim por diante. Quando se sentir impelido a parar, marque uma data no calendário. Quando esse dia chegar, jogue fora o maço. É um ritual simbólico importante.


*Consulte seu médico, não tome nenhum tipo de medicamento sem orientação!